Quero ainda, irmãos, cientificar-vos de que as coisas que me aconteceram têm, antes, contribuído para o progresso do evangelho; de maneira que as minhas cadeias, em Cristo, se tornaram conhecidas de toda a guarda pretoriana e de todos os demais;e a maioria dos irmãos, estimulados no Senhor por minhas algemas, ousam falar com mais desassombro a palavra de Deus. Alguns, efetivamente, proclamam a Cristo por inveja e porfia; outros, porém, o fazem de boa vontade; estes, por amor, sabendo que estou incumbido da defesa do evangelho; aqueles, contudo, pregam a Cristo, por discórdia, insinceramente, julgando suscitar tribulação às minhas cadeias. Todavia, que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, está sendo pregado, quer por pretexto, quer por verdade, também com isto me regozijo, sim, sempre me regozijarei…. em nada serei envergonhado; antes, com toda a ousadia, como sempre, também agora, será Cristo engrandecido no meu corpo, quer pela vida, quer pela morte. Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro. Filipenses 1: 12-18 ; 20-21

O texto é longo, eu sei. Mas ele é lindo e tem uma verdade encantadora. Assim como eu escrevi a respeito de Pedro; agora, falarei sobre Paulo. Paulo era um apóstolo completamente apaixonado por Cristo e pela pregação do evangelho. Não importa o que acontecesse com ele, o que importava era Cristo e somente Cristo. Engraçado, quando alguma coisa dá errado com a gente, não sai conforme planejado, temos o impulso de perguntar “Deus, por quê?” “Deus não me ama, não ouviu as minhas orações.” Paulo foi preso, açoitado, perseguido, odiado (vs 12,13) e, no entanto, ele se alegra com essas coisas porque “elas contribuíram para o progresso do evangelho”. Paulo tinha o claro entendimento de que “todas as coisas cooperavam e cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Romanos 8:28). Ele vai mais longe: se gloria por causa das suas algemas. Não importa de que FORMA, o mais importante é Cristo ser pregado. Eu quero aprender a viver assim, com meu coração tão apaixonado que possa apanhar por pregar o evangelho, posso perder um emprego, posso ser julgada e apontada, posso ser presa, mas jamais tirar o sorriso do rosto e alegria de pregar a Cristo crucificado. Que o amor do Pai não cesse com as lutas e tribulações, mas aumente cada vez mais.

Paulo era tão obcecado que escolheu viver a fim de ver e contribuir para o progresso do evangelho. “Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro” Ou seja, para Paulo era infinitamente melhor partir e estar com Cristo,. Porém, já que ele vive, que a sua vida seja pela causa, pelos perdidos, pelo Senhor, pelos irmãos.

Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele, pois tendes o mesmo combate que vistes em mim e, ainda agora, ouvis que é o meu. FP 1:29-30.

O mais interessante nisso tudo é que se tinha alguém que podia se gloriar em sua posição no mundo e em todos os seus títulos, essa pessoa era Paulo. Em FP 3: 4-6 ele descreve tudo que era, todas as suas posições e honras humanas porém no versículo 7 ele diz que tudo isso foi considerado como perda por causa de cristo, por causa do anseio em conhecer a Deus, por causa daquilo que Deus tinha reservado a Ele. A justiça de Paulo era a justiça baseada na fé. Isso que importa.

Que todos os dias possamos tomar a Paulo com exemplo e parar de se importar com coisas tão pequenas do dia-a-dia. Parar de se preocupar com nossos sentimentos egoístas, com a nossa própria vida, para de apontar, julgar, não amar e viver o verdadeiro evangelho. O evangelho que lemos nas cartas de Paulo; o evangelho que vemos na vida de Jesus. Escrevo isso, primeiro para mim, que estou muito aquém do desejo de Deus e daquilo que Ele planejou na sua Palavra.

About these ads