Voltou Eliseu para Gilgal. Havia fome naquela terra, e, estando os discípulos dos profetas assentados diante dele, disse ao seu moço: Põe a panela grande ao lume e faze um cozinhado para os discípulos dos profetas. Então, saiu um ao campo a apanhar ervas e achou uma trepadeira silvestre; e, colhendo dela, encheu a sua capa de colocíntidas; voltou e cortou-as em pedaços, pondo-os na panela, visto que não as conheciam.Depois, deram de comer aos homens. Enquanto comiam do cozinhado, exclamaram: Morte na panela, ó homem de Deus! E não puderam comer. Porém ele disse: Trazei farinha. Ele a deitou na panela e disse: Tira de comer para o povo. E já não havia mal nenhum na panela. 2Reis 4:38 – 41

Esse texto é tremendo!!! É uma narrativa de Eliseu com os seus discípulos. Quero trazer esse lindo relato para a realidade da Igreja de Cristo hoje.

O primeiro ponto que eu quero abordar é o significado da PANELA. Ela é o lugar que você vai quando está com fome. Se eu estou com fome, é óbvio que eu vou até a fonte que vai suprir a minha necessidade.

O período desse texto é um período de escassez. Chega uma hora que Eliseu, no papel de pastor, ­– trazendo para os dias de hoje – percebe a fome de seus discípulos e precisa fazer algo para saciar seus “filhos”. Eliseu, de alguma forma, precisava demonstrar a sua fé, apesar de saber que não tinha nada para eles comerem. A atitude de Eliseu é tremenda, ele se preocupa com seus discípulos, ele tenta fazer algo para suprir a necessidade deles. Além disso, Eliseu pega uma panela GRANDE. Geralmente, em momentos de crise, ficamos incrédulos e, talvez, se estivéssemos no lugar dele, pegaríamos uma pequena panela – uma panelinha. A primeira frase que eu tiro como lição desse texto é: Deus quer que eu pegue a panela grande em meio à crise, porque é nessa hora que Ele quer me encher e me encher muito.

Eliseu manda um de seus discípulos ir ao campo a fim de encontrar algo para comer. O seu discípulo em vez de colher a Trepadeira Silvestre, colheu as Colocíntidas. Calma! Não se assuste! Eu vou explicar. Rsrsrs

Trepadeira silvestre são plantas naturais que resistem à seca. Chovendo ou não ela consegue sobreviver. É resistente. E serviria como alimento.

Colocíntidas era um veneno muito forte.

O discípulo sem saber enche a panela com o veneno. Sabe o que acontece? MORTE NA PANELA!

Esse é o retrato da Igreja de Cristo nos nossos dias. As pessoas estão com fome, com sede e vão até a fonte tentar se saciar, porém em vez de encontrarem Trepadeiras Silvestres encontram Colocíntidas. Em vez de encontrarem comida, encontram veneno. Tudo bem, não quero generalizar. Mas o cenário evangélico hoje, a Igreja de Jesus, que sou eu e você, não está saciando a fome dos perdidos e dos feridos que chegam. A comida pode ter uma boa aparência, mas é veneno. Precisamos voltar à realidade da Palavra e oferecer comida de verdade ao povo que está faminto.

Morte na panela quer dizer morte na fonte! O lugar que deveria brotar vida, tem brotado morte.

O mundo clama: “Existe morte”. E eu e você somos aqueles que atenderão a esse chamado.

Sabe o que é mais interessante nisso tudo? Foi que Eliseu tirou toda a glória e toda honra de si. Você percebeu o que ele mandou trazer? Não? Eu te digo: FARINHA! A farinha é a representação do pão que desceu do céu: Jesus Cristo. Ele foi o alimento que deu vida. Eliseu atribui o milagre a Ele. “… E já não havia mal nenhum na panela.”

Jesus é único que tira a morte da panela e dá a vida! As pessoas estão morrendo porque a comida oferecida é desprovida do Autor da vida. A real Palavra mata a fome da minha alma e do meu espírito.

A minha e a sua igreja será sempre uma panela. E eu e você, como homens de Deus, somos responsáveis por derramar essa farinha e levar vida às pessoas.

Eu sou um instrumento de vida. Que aquilo que ministramos possa ser sempre Trepadeiras silvestres e que em nossa panela nunca haja morte.

About these ads