Esse vídeo é muito simples, muito claro, muito óbvio. Mas, antes de falar propriamente da GRAÇA, quero falar de JUSTIÇA.

“Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.” 1 Coríntios 5:21

No período do seminário, eu tive uma matéria chamada Justiça de Deus. Conhecer o significado desse versículo mudou a minha forma de enxergar a mim mesma e o próprio Deus.

Justiça é a habilidade de permanecer na presença de Deus, sem qualquer complexo de medo, culpa ou inferioridade como se o pecado jamais tivesse existido. Isso significa que você está isento de qualquer culpa, de qualquer julgo que possa fazer com que você se sinta inferior ou indigno. O véu que nos separava de Deus já foi rasgado e não há como ser costurado. Deus não possui agulha e linha para esse fim. Isso é falado o tempo inteiro nas igrejas, mas pouco vivido. Essa realidade é pouco vivida quando julgamos o nosso irmão, é pouco vivida quando não nos perdoamos por erros cometidos, é pouco vivida quando achamos que  somos superiores ao nosso próximo…

Amigo, deixa eu te contar um segredo: você não é melhor que ninguém por ser cristão. Você não tem o direito de julgar o seu próximo seja ele macumbeiro, católico, evangélico, espírita…. NÃO TEM! Sabe por quê? Porque se hoje você tem livre acesso ao PAI, isso não é mérito seu. Não foi por sua causa. É pura GRAÇA. Não se ache mais santo porque anda com uma Bíblia debaixo do braço, porque frequenta a igreja aos domingos, porque é um missionário, porque é um pastor ou por ser um simples cristão.

Sim, você é santo. Eu sou santa. Mas o somos, porque fomos feitos JUSTIÇA DE DEUS. Deu para entender? A Justiça de Deus se manifestou em nós quando recebemos o favor imerecido que é a Graça.

Bom, da mesma forma que eu citei pessoas que se comportam de maneira superior aos outros por serem de Jesus, quero falar para aqueles que se sentem inferior por não se achar digno de estar com o Senhor.

Querido, você menospreza o sacrifício de Jesus por você quando se sente indigno. O seu sentimento de inferioridade, indiretamente, demonstra que a morte de Jesus não foi suficiente para te tornar digno, para te purificar. Mesmo diante dos seus pecados, erros, defeitos, limitações, impossibilidades, você pode se achegar o Pai. O caminho está aberto para você. Não se sinta culpado, não se sinta menor, não se sinta rejeitado. Não permita que te julguem, ninguém tem esse direito. Não dê essa liberdade, mostre que você sabe o significado do sangue, que você tem consciência do amor de Deus.

Essa Palavra não é desculpa para o pecado, até por que, como dizia meu professor Pastor André Valadão, o povo peca com desculpa ou sem desculpa e, se não tiver uma desculpa, eles inventam uma. Essa palavra é uma cura para alma. Foi uma cura para a minha alma e tenho certeza que será para a sua.

Não há nada que você possa fazer que faça com que Deus te ame menos e não há nada que você possa fazer que faça com quem Deus te ame mais.

Essa frase foi libertadora em um determinado momento da minha vida. Eu não tenho como contar todas as minhas experiências em um texto só, mas eu confesso: já fui uma idiota. Porque assim como todo mundo, já cometi inúmeros erros, uns mais bobos, outros mais graves, mas foram atitudes impensadas, confissões de pecados apressadas que me custaram muito. Esse alto preço só foi pago por causa da ignorância do meu coração em relação à verdade de Deus para mim. Eu me permitia ser pisada, ser julgada, ser massacrada, ser afrontada por pura ignorância. Hoje, ninguém me acusa, seja qual for o meu pecado. Alguns podem até me julgar, mas esse julgamento não me atinge, não me afronta, pois eu tenho plena consciência de quem eu sou para Deus e de quem Deus é para mim e apenas isso que importa.

Como diz uma amiga: “o Sangue de Jesus não é suco de uva, querido”. Então, meu irmão, não faça do sangue do sangue de Jesus aquilo que ele não é. Saiba e viva e o seu real valor.

No amor de Cristo.

About these ads